Palavras, ditas vivas, sentimentos, vivos tambem, um pouco de mim, aqui, para ti que lês, que vês, assim.... Comentários são sujeitos a análise prévia, em face dos abusos cometidos por algumas pessoas.
Sexta-feira, 16 de Setembro de 2005
"Amor de rapaz"
Certezas fazem-se de dúvidas esclarecidas, de tristezas exauridas, alegradas por sorrisos, por gargalhadas, por gestos de amor.

Sobram-me poucas certezas na vida, dúvidas também poucas.

Tenho uma certeza nova, perdi mais um amigo, um tio, aquele tio, aquele que nos comprou o chupa de catraio, nos ensinou a voar, a sonhar, a lançar um papagaio.

Esse mesmo que nos falou da vida, da alegria, do futebol, da praia, do amor, do Sol, que nos falou de tudo um pouco, que nos ensinou a ser um pouco louco.

O Afonso partiu, deixou amigos, família, gente que o ama, ainda que apartado, gente que continua a acreditar que viver e morrer não é pecado.

Tio, um beijo, do teu sobrinho, estás sempre aqui, com o teu jeito especial, aquela forma desigual, de ser homem, de ser gente, tu é-lo realmente.

Até um dia destes.


publicado por PAU_LINDO às 12:51
link do post | comentar | favorito

4 comentários:
De Anónimo a 24 de Setembro de 2005 às 22:37
Obrigada, Primo.Cristina
</a>
(mailto:cruzi@netvisao.pt)


De Anónimo a 23 de Setembro de 2005 às 00:40
Belíssimo texto: eu também sempre quis ter um tio com "jeito desigual de ser gente".

Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as.

Abraços, flores, estrelas...







Edson Marques
(http://mude.weblogger.com.br)
(mailto:liberdata@yahoo.com.br)


De Anónimo a 18 de Setembro de 2005 às 21:12
Uma lágrima e um afago.
Ternura de abraços, T.Eu
</a>
(mailto:elesabe@hotmail.com)


De Anónimo a 17 de Setembro de 2005 às 19:44
Mi más sentido pésame que agradeceré hagas extensivo a tus padres. Belénbelén
</a>
(mailto:amelie2503@msn.com)


Comentar post