Palavras, ditas vivas, sentimentos, vivos tambem, um pouco de mim, aqui, para ti que lês, que vês, assim.... Comentários são sujeitos a análise prévia, em face dos abusos cometidos por algumas pessoas.
Sábado, 21 de Fevereiro de 2004
Namoro
Sentado, num qualquer restaurante, assisto a um namoro incomum, a faca, a manteiga e o pão. Pego na faca, que se deleita de ternura, tiro alguma manteiga, aquela tão agradável gordura, e espalho-a no pão.

É ver que sensação, coisa de namoro, o pão sente quando, no seu íntimo, espalho a razão desse amor. A manteiga dá-lhe cor, sabor, já o pão, quente, acabado de cozer, dá-lhe a base, o seu calor, estão juntos, é o que conta.

Mas, de repente, sorrateira, passa aquela soleira a novidade, coisas da grande cidade, a margarina, brejeira, empacotada em Kg, altaneira, com promessas de felicidade. Que não, que não é de verdade, que não tem a mesma cor, grita a manteiga em desespero, mas o pão, curioso, aproxima-se, pois então, desse novo produto gorduroso.

Levo à boca tal par, o pão, cálido e estaladiço acaricia-me o paladar, mas a moderna e sobranceira, não me aguça o palato, coisa pastosa, de mau trato, não vai ser fácil de tragar.

A um canto, quase rançosa, a manteiga, desditosa, não parava de chorar, mas a faca, de novo amiga, entrou-lhe pela barriga e voltaram a namorar. Estranho trio, feito e desfeito, a faca, a manteiga e o pão, ora gentis, já desavindos, agora de novo em sintonia, que me encantam o paladar.

Não fora a fome que me apoquentava e este namoro não veria, é pois mister da vida aprendermos, no infortúnio, algo de bom. E, ó gentil manteiga, cálido pão, deixai essa margarina gordurosa para o calor do meu fogão.


publicado por PAU_LINDO às 00:57
link do post | comentar | favorito

6 comentários:
De Anónimo a 1 de Dezembro de 2004 às 12:10
Este foi o 1º texto k li no chatt do sapo!
Enquanto algumas pessoas não gostaram...eu adorei!
és Lindo...e gosto do que escreves!
vou continuar a ler...
bjBrida
(http://Escrivinhices)
(mailto:iara_1@sapo.pt)


De Anónimo a 10 de Outubro de 2004 às 02:05
Como prometido aqui estou eu... Sr. Zé ao quadrado gostei particularmente deste namoro... Muito interessante... Um bjinho... (Agradeço ter partilhado comigo algo que lhe é tão pessoal).Lobaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
</a>
(mailto:celiasousa@msn.com)


De Anónimo a 14 de Setembro de 2004 às 15:34
Hum... sensual... cheio de ideias e sentidos subtisCrowe
(http://asasnegras.blogs.sapo.pt)
(mailto:the_crowe_nest@hotmail.com)


De Anónimo a 25 de Fevereiro de 2004 às 20:54
bem...este ja foi comentado...mas continua a ter muito k se lhe diga... lololmané
</a>
(mailto:mariaborowka@sapo.pt)


De Anónimo a 23 de Fevereiro de 2004 às 10:41
Eu, substituiria essa manteiga, largaria a margarina, pela entrega ao paladar, ao espirito, à brandura e suavidade de um qualquer, ainda que, abetumado MEL....
Larga a faca.....
FORÇA!!!!!.... Levanta-te dessa cadeira!cl
</a>
(mailto:donak_33@hotmail.com)


De Anónimo a 22 de Fevereiro de 2004 às 19:21
Pois é João, a manteiguinha e no pão quentinho, namoro delicioso, ela derrete-se ele fica mais saboroso...e com a ajuda da faquinha amiga...esta giro....gostei....
Adoro pão com manteiga...mas espero nunca ter de assistir a esse namoro.... sentada sozinha ..à espera do que não vem...que se lixe o pão...! beijinhosteresinha
</a>
(mailto:kuska01@hotmail.com)


Comentar post