Palavras, ditas vivas, sentimentos, vivos tambem, um pouco de mim, aqui, para ti que lês, que vês, assim.... Comentários são sujeitos a análise prévia, em face dos abusos cometidos por algumas pessoas.
Quarta-feira, 3 de Março de 2004
Donas

Dona Pureza, concerteza, não era alcoviteira, tinha, lá isso tinha, no remanço da alcova, preceitos de rameira.

Dona Maria, concerteza, não era namoradeira, mas teria, se houvera quem a quisesse, trejeitos de rameira.

Dona Esperta, concerteza mulher ladina, era alcoviteira e namoradeira, mas nunca teve, lá isso não, a fineza de uma rameira.

Dona esta, dona aquela, tudo gente sem pecado, tudo donas e donzelas com o pecado por vizinho, o do lado.

Mas afinal, e da rameira, não falais, daquela de quem as donas, nada alcoviteiras, ainda menos namoradeiras, mais odeiam, invejam mais.

Dona Rameira, concerteza, não era Maria, não era esperta, não tinha pureza, mas tinha, concerteza, o desamor de uma rameira.



publicado por PAU_LINDO às 12:14
link do post | comentar | favorito

1 comentário:
De Anónimo a 8 de Outubro de 2004 às 21:19
Não é pra ser alcoviteira... mas como eu te entendo ;)Fernanda
</a>
(mailto:nanda_pontes@hotmail.com)


Comentar post