Palavras, ditas vivas, sentimentos, vivos tambem, um pouco de mim, aqui, para ti que lês, que vês, assim.... Comentários são sujeitos a análise prévia, em face dos abusos cometidos por algumas pessoas.
Domingo, 23 de Julho de 2006
Chuva
Nem sei se a chuva existe,
nem sei se me molha, enfim,
Só sei que me sinto triste,
Quando não choves para mim.

Quem sabe se essa chuva de ternura,
Se esse calor, essa tempestade,
Não será afinal, um tormento de candura,
Nesse tormentosa estrada, a da verdade.

É talvez uma chuva ardente,
Ardente de sequiosa paixão,
Mas ainda há pouco resplandescente,
Agora um ocaso sem perdão.

Saber que existes ó chuva,
e que molhas o meu bem-querer,
É saber que nunca secará,
Esta vontade enorme de te ter.

E, quem sabe um dia, debaixo de ti,
De um chuva diluviana e forte,
Não encontro a mulher de uma vida,
Ou o momento da minha morte.


publicado por PAU_LINDO às 16:28
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Sombras
Na sombra desse olhar, desse teu olhar, na sombra deste querer, deste amar, se faz a luz do hoje, a luz do querer, do desejo, onde nasce e renasce, a cada momento, a cada um dos nossos momentos, um novo olhar, um beijo.
 
Será que a loucura de viver se transforma num viver na loucura, nesta nossa loucura de viver em amor, de viver sem sermos apenas mais um ou dois, sem antes nem depois, nem amanhã nem talvez, sem histórias de encantar, sem “era uma vez”, será que somos um só, que não tem como nós, sei lá o que será, nem sei nem quero saber, nem quero cogitar, só quero poder viver, viver muito, para sempre, para sempre poder te amar.
 
Não quero mais viver sem este acordar sonhado, sem este sonhar acordado, sonhar que é meu e teu, que é o nosso, o prazer de estar junto, estar junto sem saber como nem os porquês, estar porque se quer, porque se sente a vontade de estar, de olhar, de beijar, de amar, sei apenas que quero viver, coisa rara essa de viver, porque viver hoje faz sentido, faz um sentido novo, bonito, querer ser teu, querer ser querido.
 
Peguei num livro, rebusquei o passado, não encontrei nada, o futuro, sim, o futuro, esse estava ali, escarrapachado, claro como um raio de luz, como um Sol, nada era fácil, nada era simples, mas, se fosse não era conquistado, não era suado, não tinha gosto, não tinha sabor, sabia a desgosto, não teria gosto a amor.
 
Hoje senti saudades do amanhã, desse amanhã que eu sonho e imagino.
 


publicado por PAU_LINDO às 16:24
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Dezembro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

25
26
27
28
29
30

31


posts recentes

Amanhã é Natal ?

Natal, pois...

Resistir

Sagradas

Tristeza

5 anos

Ordens inversas

Olhar

I Love You Very Much...à ...

Eu amo e sei

arquivos

Dezembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Julho 2004

Junho 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds