Palavras, ditas vivas, sentimentos, vivos tambem, um pouco de mim, aqui, para ti que lês, que vês, assim.... Comentários são sujeitos a análise prévia, em face dos abusos cometidos por algumas pessoas.
Quarta-feira, 5 de Janeiro de 2005
3 minutos
Silêncio, o meu, o vosso, o de muitos, não de todos mas de muitos, com um nó na garganta, com dor, a de ver, a de pensar.

Três minutos aqui, para sempre lá, para sempre para muitos pais, mães, filhos, filhas e todos os graus de parentesco, três minutos aqui para se dizer ao Mundo que sim, que sentimos a dimensão da perda, a própria palavra parece pequena para tanta dor.

Algures, no meio da devastação, alguém sentirá que, aqui, alguém sente?

Não há palavras para tanto silêncio, não há forma de explicar tantas e tantas vozes que se calaram num silêncio eterno, inesperado, indesejado, vazio.

Junto, ao vosso silêncio, a minha prostração, não sei mais como pensar no impensável, no indizível, sou pequeno demais.



publicado por PAU_LINDO às 13:02
link do post | comentar | favorito

1 comentário:
De Anónimo a 5 de Janeiro de 2005 às 13:34
Quão imbecil é a soberba humana perante a sua pequenez!! Somos todos de facto muito pequenos.
Texto lindo.

Um bjF... GT
</a>
(mailto:xxx@sapo.pt)


Comentar post